domingo, 21 de outubro de 2007

LITERATURA

(junqueiro, ramalho, eça e o. martins)


OLIVEIRA MARTINS

O ESCRITOR OLIVEIRA MARTINS

Dele disse ANTERO: Dez Oliveira Martins levavam Portugal muito longe.O escritor Oliveira Martins nasceu a 30 de Abril de1845, no nº 74 daTravessa do Pombal, hoje Rua da Imprensa Nacional.


Foram seus pais D.Maria Henriqueta de Morais Gomes de Oliveira, natural e baptizada nafreguesia de São Lourenço de Azeitão e de Francisco Cândido GonçalvesMartins. Natural e baptizado a freguesia de Nossa Senhora das Mercês,proprietário e Oficial da Junta dos Juros dos Reais Impostos, maistarde denominada Junta do Crédito Público.

Aos onze de Maio de 1845 foi baptizado na paróquia de Santa Isabel,sendo-lhe dado o nome de Joaquim Pedro. Teve como padrinhos NossaSenhora e seu tio-avô materno, o doutor Aires Barbosa de Figueiredo,filho do segundo matrimónio de sua bisavó materna, D. Maria Bárbara deMorais Âncora.

No Liceu Nacional de Lisboa Joaquim Pedro estabeleceu três grandesamizades que o acompanhariam leal e fielmente até aos derradeirosdias. Foram eles José Tomaz, João Plantier e Calvet e Magalhães.

Do Oliveira Martins liceal, dá-nos o doutor José Tomaz esteinstantâneo: os trabalhos escolares que realizava eram praticados comprimor: s algarismos bem lançados e a caligrafia clara; havia nessetrabalho uma tendência para o certo, para o exacto.

Joaquim Pedro vai empregar-se na casa de comércio «Gruis & Compª»,com sede no primeiro andar do prédio com frente para o Largo do CorpoSanto, fazendo esquina com o Cais do Sodré onde tem o nº 8.

Ali Oliveira Martins sentiu o primeiro embate com a . Ser empregado,praticante de escritório, era coisa penosa nos tempos em que não nemhorário de trabalho a cumprir nem contractos colectivos.

Com os seus versos, os seus artigos de jornal, o seu livro, o seuteatro e ou os estudos de Direito e Economia, Oliveira Martins entrano Cenáculo nos primeiros meses de 1870.
TEOFILO BRAGA diz-lhe a propósito de Antero, que entretanto conhecera:- "Estimo que tivesse ocasião de entrar em relações com Antero, paraver de perto o que é uma grande alma de justo"

Mais tarde Joaquim Pedro, dirá:_ Antero é um homem!
João Brito Sousa

Sem comentários:

Publicar um comentário