quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

A MALTA DA SERRA

BOM ANO NOVO PARA TODOS
A MALTA DA SERRA
DO MEU TEMPO LÁ NA ESCOLA EM FARO.

Ao Romualdo Cavaco.

Viva.

Penso que a malta da serra que vinha estudar para a Escola Comercial e Industrial de Faro no meu tempo, tinha como arma principal uma boa capacidade intelectual e uma grande dose de vontade de chegar ao top.

O Romualdo Cavaco da Cortelha, foi um desses bons alunos que ingressaram na Escola em Faro e foi um grande amigo e companheiro de todos nós.. Não conheço ninguém do meu tempo (entrei em 52 na Escola), que não tenha uma enorme simpatia pelo Romualdo. Porque este “serrenho” era uma simpatia de rapaz.

Entrou na Escola em Faro em 51, na altura do meu primo Carlinhos Louro, do Firmino Cabrita das Fontainhas, do Zé Gago de Moncarapacho, do Manel Zé de Paderne, do Zé Barra de Bordeira e de mais uns vinte ou trinta montanheiros que atacaram a Escola nesse ano. Mas o Romualdo é da serra do Caldeirão, e, o seu a seu dono. Montanheiro é montanheiro e homem da serra é homem da serra. Como não conheço nenhum outro colega da serra, convido o Romualdo a contar umas histórias dessa malta das serranias, para publicar aqui neste espaço.

Eram ainda grandes amigos do Romualdo nesse primeiro ano, mas da cidade, o Rabeca, o Gil Vieira, o Amarante. Quem jogava bem à bola nessa turma, 1º ano 1ª Turma, era o Zé da Casa dos Rapazes. Para desenho o melhor era o Alexandre e o melhor aluno era o Manel Zé Guerreiro de Paderne. E já faleceram dessa turma o Zé Santinho e o Macário, grande jogador de andebol que também foi guarda redes da equipa da turma. Todavia, o melhor guarda redes era o Canseira de Olhão.

No 1º ano 1ª Turma do Curso Geral do Comércio, estava naquela aula do Uva, quando o Quinta Nova disse ao Prof. que tinha uma dúvida e, perante isto, o Uva deu um murro na mesa e partiu os óculos, que estavam debaixo do envelope agora esmurrado. Estava naquela cena igualmente com o Dr. Uva, quando o Edménio deixou cair a caneta e o Mestre disse:- ó sua besta, apanhe a caneta, e frente marche, esquerda volver, abra a janela, estique a mão... e agora abra a mão....

Estava naquela turma das cenas do Macedo e do Edménio com o Fonética e a pistola, foi colega dos Fialhos, do Óscar, do Eusébio de Salir (falecido) do Alex, do Zé Contreiras, do Mota Pereira, do Xico Machado (falecido), do “Pato” Donaldo (ficaram célebres aquelas chamadas do Donaldo nas aulas do Uva, venha cá o Pato e o Pato que não sabia corno lá ia....) e de mais de quinhentos alunos da Escola.

No BNU em Lisboa trabalhou com o Remendinho, com o Honorato Viegas, com o Zeca Bastos, com o Zé Clérigo e o Alfredo Pedro e mais cem alunos da Escola. Mas o seu grande amigo foi o Jorge Valente dos Santos, o Jorge Barata também colega na Escola e que também é meu amigo.

ROMUALDO CAVACO um grande amigo e um grande homem. Aqui ficam uma s pequenas notas sobre ele... que diz ser serrenho.. do Caldeirão e da Cortelha.

Um grande abraço do

João Brito Sousa

Sem comentários:

Publicar um comentário