segunda-feira, 7 de janeiro de 2008

AQUI... TODA A CRÍTICA É ACARINHADA!..

(costa da caparica)

“Os amigos... são aqueles que nos querem bem, melhor, sempre bem”...
(è o que deduzi da crónica do avlis, felizmente reformado.)

Recebi do avlis, este comentário, à minha crónica “ ÀS OITO E QUATRO”

Diz o camarada Silva.

Às oito, na nossa situação e na na nossa idade, soa-me a horas um tanto impróprias para se estar já dedilhando no teclado do computador, forçando a massa encefálica a concentrar-se para conceber tema e gerar energia para debitar prosa.

Às oito, ainda não houve contacto com o mundo exterior, logo, apenas pode sair matéria provinda do nosso interior, manifestações do nosso íntimo, sentimentos expontâneos, ainda não filtrados nem condicionados pelos factores exógenos que diariamente vão formando o nosso estado de espírito.

Às oito, a força da tal moral que pode e deve dar força ao Homem, estará muito debilitada pela força dos sentimentos que despertaram durante o sossego da noite, na ausência dos componentes que o bulício do frenesim da vida diária forçosamente vai moldando.Às oito, portanto, só poderia ter saído uma crónica como a que ora foi dada à estampa, um tanto fora das que habitualmente vamos lendo por aqui.

Náo é o caso de não se entender plausível que neste sítio não possam surgir manifestações de estados de espírito! Nada disso! O caso é apenas e tão só o da preocupação de um amigo ao sentir que o seu amigo possa estar passando por momentos máis débeis da força da sua moral. Se é o caso - espero bem que o não seja! - aguenta o barco, procura diversidade de contactos, parte para outra!

Nada de se agarrar a um único estado de alma! Hoje é um dia que antecede o de amanhã e esse tem também que ser vivido. Há que sossegar!

Força amigo!
Arnaldo silva
Felizmente reformado

O MEU COMENTÁRIO

O meu amigo Arnaldo Silva é um cara que está sempre atento aos meus altos e baixos, porque é um amigo e dos muito bons. Fizemos um percurso académico lado a lado e até fomos colegas de quarto na Rua do Sacramento à Lapa. Estávamos lá naquele dia do terramoto.

E somos compadres.

Mas a cereja no topo do bolo é que o Silva nunca tem baixos. O lema é: VIVER.. VIVER... VIVER..
O mesmo se pass apor aqui. E O OITO E QUATRO, até nem está assim tão mau.
João Brito Sousa

Diz o Arnaldo Silva






Sem comentários:

Publicar um comentário