segunda-feira, 5 de maio de 2008

A D. HELENA


A NOSSA PROFESSORA DO ENSINO PRIMÁRIO

A D. HELENA foi a minha professora primária em MAR e GUERRA. Eu talvez tenha alguns conhecimentos técnicos que me levem a poder falar disso porque também fiz o curso do Magistério Primário e fui professor.

Justiça tem que ser feita. Já aqui tenho falado dela e quando falei foi das reguadas e dos bofetões. Mas a Professora Helena foi muito mais do que isso. Foi ela que nos encaminhou, bem ou mal, na carreia de estudos a seguir pelos alunos por ela preparados e que cuidava conhecer como ninguém as aptidões académicas de cada um deles.

Foi uma grande "mestre escola" para todos nós. Não podemos nunca esquecer o que ela fez pelos seus aluno/as. .O que ela fez por nós não pode ser esquecido. Tem de vier aqui mais malta prestar o seu testemunho. Só eu, DIOGO COSTA SOUSA e o João Brito Sousa é que falamos dela. E os outros? Esqueceram-na. Quero aqui os depoimentos dos costeletas Zé Louro Rodrigues, António Louro Rodrigues, Esmeralda Bolas, Maria da Glória Madeira, Zé Elias Moreno, Bernardo Estanco, Quim Rafael e Zé Dias Rafael....e ouros que não me lembro agora.

A D.HELENA foi professora de várias gerações....no meu caso, ensinou minha mãe e meus irmãos. Pensemos só nisto, ela ensinava naquele tempo e na mesma sala de aula, 4 classes, níveis diferentes, que ela tinha que "balançar" ao mesmo tempo....desde o abcedário aos da primeira classe até à Historia, Geografia , Aritmética , leitura e ditados à quarta.....nunca me esqueço o empenho dela na pontuação da leitura, quando liamos palavra atrás de palavra sem pontuação, lá vinha talvez o ponteiro,...arma de longo alcance e....o comentário: "Parece a nora da TI RAFAELA"....

Aqui temos que sair da sala e saber o que era a nora da TI RAFAELA, avo' paterna do ZE' RAFAEL e QUIM RAFAEL.

Cá vai :

:Os engenhos das noras, enquanto puxados a gado, tinham um batente de segurança que evitava que o engenho "rodasse" para traz e, ao mesmo tempo quando o animal de tracção parava para descansar, podia faze -lo sem ter que se esforçar para segurar o dito engenho....

Com a chegada dos motores às nossas noras, o tal batente mostrou-se insuficiente e foram adaptados a' "roda d'agua" dois, o que causava um som monótono de "bate bate" bem audível na nossa escola, vindo da nora da "Ti Rafaela"....

Ora, quando alguém lia em tom monótono, aí vinha a comparação; parece a nora..!!! E o ponteiro podia funcionar ou não...dependia talvez do seu estado de alma.

Não sei se a podemos acusar de ensinar pelo medo se devemos agradecer-lhe os métodos. Uma coisa e' certa, alunos havia que baixavam de rendimento escolar quando saíam de sob a sua alçada..

E eu sou testemunha disso porque fui um dos que baixei de rendimento logo no primeiro período na Escola Comercial De distinto no exame da quarta classe passei a .dois oitos, dois noves e um dez não ensino secundário.

Texto de
DIOGO COSTA SOUSA e
JOÃO BRITO SOUSA

Sem comentários:

Publicar um comentário