terça-feira, 20 de janeiro de 2009

PLEASE COMENT!...


“HÁ MUITAS RELIGIÕES MAS O ESPÍRITO É ÚNICO...”
O texto que se apresenta de seguida é de Leon Tolstoi, in "Ressurreição.

- Que religião é a tua? - perguntou um homem de certa idade, que estava num extremo da balsa, junto do seu carro. - Não tenho nenhuma religião. Porque não creio em ninguém mais do que em mim mesmo - replicou o velho com ar resoluto. - Como pode uma pessoa crer em si mesma ?


Pode enganar-se - objectou Nekliudov, intervindo na conversa. - Nunca! - exclamou o velho abanando a cabeça. - Porque há então diferentes religiões ?- interrogou Nekliudov. - Porque as pessoas crêem precisamente nessas religiões e não crêem em si mesmas. Também eu acreditei nos outros e perdi-me como numa floresta. Estava tão confuso que julguei não poder mais encontrar o caminho.


Conheci múltiplas religiões diferentes. Todas se louvam a si mesmas. Todas se foram propagando, tal como uns carneiros cegos arrastam outros consigo. Há muitas religiões, mas o espírito é único. É o mesmo em ti, em vós e em mim. Assim, pois, cada um de nós tem de acreditar no seu espírito, e deste modo todos estamos unidos. Leon Tolstoi, in "Ressurreição"

2- O PRAZER E O TRABALHO

O texto é de Charles Baudelaire, in "Diário Íntimo

“Em cada minuto somos esmagados pela ideia e a sensação do tempo. E apenas existem dois meios para escapar a tal pesadelo, para esquecê-lo: o prazer e o trabalho. O prazer gasta-nos. O trabalho fortifica-nos. Escolhamos. Quanto mais nos servimos de um destes meios, mais o outro nos inspira repugnância. ::”

COMENTÁRIO.

É verdade que o tempo nos esmaga, sobretudo quando sentimos que nos começa a escassear. Se não temos ocupação alguma, essa realidade é mais acentuada. É claro que temos aqui um dilema a resolver:- se sentimos o tempo passar, derivado da falta de ocupação, esse facto retira-nos o equilíbrio e a boa disposição, que convém não perder. Se estamos ocupados, o tempo esgota-se e passa rápido e cada vez há menos tempo par viver, pois estamos a consumi-lo.


Falta aqui um meio termo que parece não existir, porque, qualquer uma das soluções que arranjemos, não evita que se continue a consumir-se do tempo ainda disponível. A melhor solução será aquela que, apesar de se consumir esse tempo ainda disponível, nos dê prazer em usufruir dele. EU OPTO PELO TRABALHO.
Será que é a melhor solução?

João Brito Sousa

Sem comentários:

Publicar um comentário