segunda-feira, 29 de setembro de 2008

IMPRENSA /RECORD


COMPETÊNCIAS, ARBITRAGENS e ETC...
Por RUI CARTAXANA

O prof. Jesualdo Ferreira, que nos delicia nas suas frequentes rodadas de imprensa com considerações filosóficas sobre o mundo e as espécies que o habitam, resolveu desta vez falar dessa coisa comezinha que é o futebol. Para ser mais concreto de arbitragens. Foi assim que, partindo de uma notável, mas subtil, análise às consequências do malfadado processo do Apito Dourado, aquele professor chega a três notáveis conclusões:

1ª - no famoso jogo de Vila do Conde, de má memória para a sua equipa, o problema foi de “competências”;

2ª - não foi só o FC Porto que foi incompetente, a arbitragem também o foi;

3ª - trata-se, como é evidente, de uma consequência do Apito Dourado, como aliás, ele já previra antes de começar a Liga, apelando a que o Apito Dourado não fosse pretexto para arbitragens em prejuízo do FC Porto - como já estava a acontecer! Este brilhante raciocínio de Ferreira foi ilustrado com exemplos de “casos” verificados com os seus “rivais” de Lisboa. Com o Sporting, o penálti “cometido” por Tonel em Braga e, no último jogo, o golo de Postiga fora de jogo. Quanto ao Benfica, quando há penáltis a favor, marcam-se (Paços de Ferreira), para não falar no escândalo do caso Luisão – e aqui, pelo mérito e brilhantismo da arguição, dou a palavra ao Professor: “O Luisão foi castigado por via de sumaríssimo, mas isso não impediu que tivesse continuado em jogo depois de ter agredido um jogador nosso!”

Bem, vamos mas é falar a sério sobre este lamentável e desconexo arrazoado em nome daquela velha táctica tão ao estilo do agora silencioso presidente de Jesualdo, que, no impedimento do “original”, o tenta imitar. Mas que não faz mais do que confirmar aquela máxima segundo a qual as imitações são sempre piores que o original. Estamos na 3ª jornada do Campeonato, o processo Apito Dourado começou há mais de 5 anos (com os árbitros e todos os implicados a serem ouvidos, etc.) e Jesualdo Ferreira descobre “agora” que os árbitros “vão” prejudicar o FC Porto! Pior ainda é aquela de lamentar que o Luisão, objecto de um sumaríssimo, “tivesse continuado a jogar até final do jogo depois de ter agredido um jogador nosso”. E por falar em competências, Jesualdo tem obrigação de saber que um sumaríssimo só pode existir por alegadas faltas não vistas nem penalizadas pelo árbitro e que, em caso de punição, ela será sempre aplicada à posteriori. Ora abóbora.

publicado por
João Brito Sousa
COMENTÁRIO
Estou totalmente ao lado de RUI CARTAXANA; e contra o clube de batoteiros como foi apelidado pelo Presidente da UEFA.
JBS

Sem comentários:

Publicar um comentário